Empregabilidade: criatividade

Equipes criativas: o comportamento humano nas organizações se caracteriza de diversas formas, uma delas é pelo nível criativo de seus integrantes. A capacidade de se criar algo em função das estratégias traçadas por uma organização é coisa rara, não porque falte nas pessoas, mas porque muitas empresas não possuem a cultura de incentivo à criatividade do seu capital intelectual. A formação de tal cultura de criatividade necessita de alguns fatores como ambiente amigável, liberdade de expressão, estrutura de comunicação formal flexível e desburocratizada, ou seja, o processo de criatividade necessita de máxima abertura comunicacional para tramitar idéias. Maíza Neville resume bem o que quero dizer: "a melhor forma de gerenciar pessoas criativas é encorajá-las a apresentar suas idéias livremente, em um ambiente que recompense a inovação, dentro de uma estrutura de valores e objetivos da empresa." (ver artigo completo).

Por outro lado, a gerência autocrática reprime tal processo; a verticalização acentuada da estrutura dificulta a tomada de decisão e desmotiva a equipe que espera feedback (pra ontem) das suas idéias.

Quem tem medo de lobo mal? A capacidade de se expressar dos funcionários é algo crítico para as empresas que buscam nesses a criatividade. Entretanto, somos seres temerosos ao feedback dos nossos “chefes”. Até então, esses só nos chamavam para reclamar do nosso trabalho (a dita "sentada") e não para elogiá-lo. Tal realidade vem se alterando, mas ainda podemos encontrar pessoas com o senso crítico tal a preconizada na Teoria X de McGregor.
Cabe aos novos gestores deixar de lado tal teoria e partir para a gestão criativa, onde a comunicação flui de todos os níveis com liberdade e maturidade.

Write a comment

Comments: 1
  • #1

    Caroline (Sunday, 09 February 2014 19:06)

    Parabéns pelo site.
    O conheci a 3 anos atrás, mais continuo sendo beneficiada.

    Obrigada pelas dicas e pelo prazer que sinto ao ler seus textos.